Google Tag Manager

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Olhinhos castanhos

Olhinhos Castanhos, por Denise Melo.
Ah olhinhos castanhos, sinto sua falta; você deve pensar como pode: essa menina nunca nem me viu, só por fotos ou por vídeos, e de repente já se apaixonou, como pode?
Como se faz para explicar um sentimento que nasceu de um olhar? Não se faz.
O amor não teria graça se fosse previsível.
O que eu nunca te disse é que eu consigo vêr muito além do brilho dos teus olhos castanhos; eu vejo tudo que você gostaria de esconder: eu vejo um coração lindo, um brilho, uma alma sapeca e um pedido de cuida de mim!! 
Se você me permitir me dá um "like" aqui; é o sinal que eu preciso para agir; o restante deixa comigo!!

Carta escrita para o mar

Carta escrita para o mar, por Denise Melo.






Denise Melo sentindo-se em paz em São Paulo
Hoje faz um ano!
Foi a última vez que vi teus olhos, algo me intrigava, eu que sempre soube ler, ouvir e interpretar o que eles expressavam, naquele dia eu não consegui, uma impenetrabilidade, uma penumbra, ausência de brilho, o franzir do cenho constante, o olhar completamente incógnito!
A explicação só veio depois de 29 dias, foi como levar um soco na boca do estômago, o coração queimando em dor, mais assim como qualquer dor ela passa, e graças a Deus, passou!
Eu te agradeço por ter ido embora da minha vida sem olhar pra trás, eu agradeço por toda a dor que você me causou, por meio desse sofrimento eu descobri uma mulher que eu não sabia que existia dentro de mim, hoje estou liberta disso tudo.
Nos nunca daríamos certo, apesar do mesmo signo, somos muito diferentes, eu tenho minhas decisões muito bem fundamentadas, sou pés no chão, tenho sonhos e projetos muito bem definidos e luto por realizar, sei muito bem o que quero é também sei o que não quero para minha vida, já você é completamente volátil e não consegue centralizar nada em sua vida, por consequência a pessoa que você mais magoa nessa vida é VOCÊ!
Eu vivi esse luto durante esse ano, iniciou em 31/07/2016 e não foi o luto apenas da morte de um amor, foi o luto do fim de uma relação de amizade e por consequência amor de mais de 10 anos, eu precisei viver todas as fases desse luto, a perda a aceitação, a dor e suas nuances, a compreensão, foi necessário deixar doer tudo que havia para doer, para por fim entender.
Eu não julgo você, ir embora é um direito que lhe cabe, eu te perdoou por ter sido tão covarde, por ter medo enfim por ter sido você! É do fundo do meu coração que você seja muito feliz, que o brilho dos teus olhos nunca se apague, que esse sorriso lindo ilumine o coração de quem você verdadeiramente ame. Te desejo muito amor, paz, e muita luz.
Obrigada por tudo isso.
Esse ciclo se encerra aqui.
Carta escrita para o mar levar o que não serve, e trazer só o que for ficar...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...