Google Tag Manager

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Zilda Arns faleceu em 12.01.2010

Catarinense de Forquilhinha, a Dra. Zilda Arns Neumann faleceu em Porto Príncipe no Haití em 12.01.2010.
O brasileiro é tido como povo de memória curta. Sera?…
Fazem praticamente 30 dias do falecimento da catarinense de Forquilhinhas, Dra. Zilda Arns Neumann.
Eis aí uma médica que cumpriu a sua missão.
Durante os últimos dias foram diversas as homenagens prestadas a Fundadora da Pastoral da Criança e Pastoral da Pessoa Idosa, Dra. Zilda Arns Neumann. O desenhista brasileiro, Mauricio de Souza, autor de diversos quadrinhos, entre eles "A Turma da Mônica", também prestou a sua homenagem, criando uma imagem especial, que ilustra a página inicial do site da "Turma da Mônica".
Zilda Arns Neuman
Para saber mais, clique em Mais Informações, abaixo


Zzz Dormir de Barriga para Cima
Eis aí uma imagem que a Dra. Zilda gostaria de ver divulgada para todos os pais de recém nascidos.
Zilda Arns Neumann
Dra. Zilda Arns Neumann
O que aconteceu no Haití
Localizado na Rua M, nº 13, no bairro de Turgeau, o CIFOR (Centro Inter - instituto de Formação Religiosa) ficou parcialmente destruído. A parte mais preservada do prédio foi justamente onde estava a Dra. Zilda, que caiu do segundo andar. A maioria das mortes ocorreu no prédio anexo, cujos andares afundaram um sobre os outros. Até no dia seguinte, quarta, contam dois parentes de vítimas, era possível ouvir as vozes de estudantes presos dentro de um carro; eles estavam deixando o prédio logo após a palestra da Dra. Zilda.
Dra. Zilda havia acabado de falar sobre a Pastoral da Criança e estava conversando com o Padre William Smarth sobre seu irmão, o arcebispo emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, pois Padre William conhecia Dom Paulo desde 1980. Padre William descreveu os últimos momentos de vida da Dra. Zilda assim: “Ela era uma pessoa engajada e cativante. Era apaixonada por seu trabalho, ela não queria terminar a palestra, falou uma hora e meia. Via-se que ela tinha tantas coisas a dizer, que sua missão era salvar vidas".
Mesmo caminhando com dificuldades e com o ferimento na cabeça, Smarth tem ido todos os dias à escola --a sua casa também foi destruída, e ele dorme no pátio de um seminário, igualmente arrasado. Professor de teologia, Padre William disse sobre o papel de Deus na tragédia: "Para mim, é um fenômeno físico da natureza, coisas que não se podem mudar. O problema, para nós, é a necessidade de continuar trabalhando com essa gente já pobre. Talvez  nós, que nos salvamos, tenhamos algo especial a fazer para que, no futuro, menos gente morra".
Zilda Arns, 75 anos, fundadora da Pastoral da Criança morreu no dia 12 de janeiro, vítima do terremoto que assolou o Haiti. Zilda estava naquele país como parte de uma série de visitas a nações da América Central.
Médica pediatra e sanitarista, Zilda foi fundadora da Pastoral Da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa. Presente em todos os estados do Brasil e em mais 20 países, a Pastoral da Criança tem mais de 240 mil voluntários capacitados atuando em 40.853 mil comunidades em 4.016 municípios. Acompanha quase 95 mil gestantes e mais de 1, 6 milhão de crianças pobres menores de seis anos.
Zilda, ao longo de sua trajetória de vida, foi um exemplo do espírito voluntário. Dedicou-se aos menos favorecidos e mostrou, com seu programa contra a mortalidade infantil, que era possível desenvolver projetos sociais eficazes, fazendo muito com tão pouco. Com seu programa, as estatísticas de mortalidade infantil despencaram. Os resultados foram tamanhos que as ações se transformaram em política pública, bancadas pelos governos federal, estadual e municipal. Está no trabalho da Pastoral, iniciado na década de 1980, a base para a criação dos agentes de saúde, disseminada não só pelo país, mas pela América Latina e África.
Zilda salvou muitas vidas e é um exemplo de como cada um pode ser um agente transformador para um mundo melhor.
Fonte: Pastoral da Criança
Dra. Zilda Arns Neumann, 75 anos, foi médica pediatra e sanitarista, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa, organismos de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dra. Zilda Arns também foi representante titular da CNBB, do Conselho Nacional de Saúde e membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).
Nascida em Forquilhinha (SC), residia em Curitiba (PR), mãe de cinco filhos e avó de dez netos. Escolheu a medicina como missão e enveredou pelos caminhos da saúde pública. Sua prática diária como médica pediatra do Hospital de Crianças Cezar Pernetta, em Curitiba (PR), e posteriormente como diretora de Saúde Materno-Infantil, da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, teve como suporte diversas especializações como Saúde Pública, pela Universidade de São Paulo (USP) e Administração de Programas de Saúde Materno-Infantil, pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS). Sua experiência fez com que, em 1980, fosse convidada a coordenar a campanha de vacinação Sabin para combater a primeira epidemia de poliomielite, que começou em União da Vitória (PR), criando um método próprio, depois adotado pelo Ministério da Saúde.
Em 1983, a pedido da CNBB, a Dra. Zilda Arns cria a Pastoral da Criança juntamente com Dom Geraldo Majela Agnello, Cardeal Arcebispo Primaz de São Salvador da Bahia, que na época era Arcebispo de Londrina. Foi então que desenvolveu a metodologia comunitária de multiplicação do conhecimento e da solidariedade entre as famílias mais pobres, baseando-se no milagre da multiplicação dos dois peixes e cinco pães que saciaram cinco mil pessoas, como narra o Evangelho de São João (Jo 6, 1-15). A educação das mães por líderes comunitários capacitados revelou-se a melhor forma de combater a maior parte das doenças facilmente preveníveis e a marginalidade das crianças. Após 25 anos, a Pastoral acompanha mais de 1,9 milhões de gestantes e crianças menores seis anos e 1,4 milhões de famílias pobres, em 4.063 municípios brasileiros. Seus mais de 260 mil voluntários levam fé e vida, em forma de solidariedade e conhecimentos sobre saúde, nutrição, educação e cidadania para as comunidades mais pobres.
Em 2004, a Dra. Zilda Arns recebeu da CNBB outra missão semelhante, fundar, organizar e coordenar a Pastoral da Pessoa Idosa. Atualmente mais de 129 mil idosos são acompanhados todos os meses por 14 mil voluntários.
Pelo seu trabalho na área social, Dra. Zilda Arns recebeu condecorações tais como: Woodrow Wilson, da Woodrow Wilson Fundation, em 2007; o Opus Prize, da Opus Prize Foundation (EUA), pelo inovador programa de saúde pública que ajuda a milhares de famílias carentes, em 2006; Heroína da Saúde Pública das Américas (OPAS/2002); 1º Prêmio Direitos Humanos (USP/2000); Personalidade Brasileira de Destaque no Trabalho em Prol da Saúde da Criança (Unicef/1988); Prêmio Humanitário (Lions Club Internacional/1997); Prêmio Internacional em Administração Sanitária (OPAS/ 1994); títulos de Doutor Honoris Causa das Universidades: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Universidade Federal do Paraná, Universidade do Extremo-Sul Catarinense de Criciúma, Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Sul de Santa Catarina. Dra. Zilda foi Cidadã Honorária de 10 estados e 35 municípios; e foi homenageada por diversas outras Instituições, Universidades, Governos e Empresas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...