Google Tag Manager

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Como saber se um ato e positivo ou negativo

Como saber se um ato é positivo ou negativo?
Fonte: O Karma Genético, pag. 28
http://www.herickusami.org/












Código nulo

Um ser que encarna pela primeira vez no reino humano não possui Karma. Não há programação na Maila e Catka (veja em http://drbachflower.blogspot.com.br/2014/01/o-que-e-energia-iliaca-e-botao-aditivo.html )

Mas, de acordo com as ações que este indivíduo vai praticando no decorrer da sua vida, a Maila e o Catka posterior vão sendo programados.

A Maila registrará todos os atos negativos que o indivíduo praticar e o Catka todos os atos positivos. Deste modo, vai sendo programado o Karma.
O Karma pode ser ativo ou nulo. Tudo dependerá da carga energética na Maila e no Catka.
Todas as ações geram duas energias específicas que estão na Ilaia. As ações positivas geram energia ilíaca positiva que é registrada no Catka.
As ações negativas geram energia ilíaca negativa que também é registrada, mas na haste Maila. Quando as cargas de energia Ilíaca no Catka e na Maila são iguais, o Karma é inativo ou nulo. Quando há o desequilíbrio entre as cargas o Karma é ativo.
Quanto maior a diferença de energia entre as hastes mais fácil ou difícil será o Karma.
O Karma é apenas um desequilíbrio energético entre a Maila e o Catka.
Ao contrário de muitas linhas de pensamento, o Karma não gera apenas sofrimento, mas, também benefícios.
O Karma ainda pode ramificar-se em vários tipos de missão. 
A missão é um complemento Kármico, a fim de que o indivíduo possa superar seus sofrimentos.

Atos Positivos e Negativos.

Como saber quais são os atos positivos ou negativos?
Isto não é fácil, por ser muito relativo.
Os atos positivos e negativos são discriminados pelo seu próprio Ego.
O que é correto para mim pode ser incorreto para você e vice-versa. Tudo depende da nossa moral, da moral imposta pela sociedade e pela moral cósmica.

Através da análise destes três tipos de moral é que podemos determinar o que é um ato positivo ou não.

Exemplificando, o assassinato é um ato que vai contra a moral cósmica, atualmente contra a moral social e a individual, na maioria dos casos. Logo, concluímos que o assassinato é um ato acentuadamente negativo. Mas, sob outro ponto de vista, se o assassinato em uma sociedade fosse considerado correto, em relação à moral individual também fosse justo e, em relação à moral cósmica, errado, concluímos que, para este caso específico, o assassinato deixaria de ser um ato tão errôneo.

O que é positivo ou negativo somente o Eu Interior (Ego), determinará. O Eu Interior não erra jamais.
Todos os atos são classificados como negativos ou positivos pelo Ego, através da média do padrão moral entre a moral cósmica, social e individual.
Mas sempre o que mais mais pesa é o padrão moral cósmico e o individual. O social é um padrão secundário.

Para melhor entender o processo de classificação dos atos, tomemos dois casos básicos:

Primeiro Caso - Se o assassinato de um indivíduo por outro, devido a causa honrosa, fosse justo socialmente, esta prática seria positiva.
Se o indivíduo que praticou esta justiça também considerasse o ato correto, individualmente seria prática positiva. Mas, para a moral cósmica, este ato será sempre negativo.

Segundo Caso -  Se o assassinato de um indivíduo por outro, devido a causa honrosa, fosse justo socialmente, este ato seria positivo. Se o indivíduo que por força maior o praticou considerasse este ato errôneo, em relação à moral individual, este seria ato negativo. Para a moral cósmica este ato é negativo.

Para decidir no primeiro ou no segundo caso se o assassinato é um ato negativo ou não, nas devidas circunstâncias, deve-se tomar a soma dos pesos de cada moral. ou seja, da moral cósmica, individual e social.

Por hipótese, a moral cósmica tem peso 35.
A moral individual tem peso 35 e
A moral social tem peso 30.

Na prática, no primeiro caso: em relação à moral social e individual o assassinato por causa honrosa é ato positivo, logo a soma dos pesos é 35+30=65. A moral cósmica será 35.
Como o peso da moral social e individual somam mais que a cósmica, no primeiro caso, o assassinato será um ato positivo.

Como o peso do ato caracterizado como positivo é maior do que o peso considerado negativo, o Eu Interior classificará o assassinato neste caso como ato positivo. Logo, a energia Ilíaca energizará o Catka e não energizará a Maila.

Na prática, o mesmo sistema ocorrerá no segundo caso.
Moral individual = 35 negativo
Moral cósmica = 35 negativo
Moral social = 30 positivo.

Como se soma os pesos da mesma característica, a moral cósmica mais individual resultará em 70 contra 30 da moral social, dando desta vez, característica de ato negativo ao assassinato.
Neste caso, como o ato foi considerado pelo Eu Interior como negativo, a energia Ilíaca energizará a Maila e não energizará o Catka.

O peso moral pode variar, dependendo do ato do indivíduo. A variação pode ser de zero a 100.

Programação


A programação é o segundo passo a ser processado, após a classificação do ato que determinado indivíduo praticou.

Como foi dito, a energia ilíaca percorre as hastes Catka e Maila. 
A velocidade com que a energia ilíaca percorrerá cada ponto kármico dependerá do tempo de vida do indivíduo. O tempo de vida de um indivíduo é uma coisa já pré-determinada. Este tempo é contado desde que o óvulo é fecundado.

Vamos supor que num indivíduo "X" a Ilaia percorra um ponto Kármico a cada segundo. Este indivíduo tem vinte e um anos e é iniciático no reino humano, logo não possui Karma ou programação interior. O DNA Kármico atual é nulo e esta sendo programado o seu DNA posterior. O DNA posterior será ativado apenas na sua próxima encarnação.

Neste indivíduo "X", a medida que transcorre a sua vida, seus atos vão sendo classificados como positivos ou negativos.

Hipoteticamente, a cada segundo, este indivíduo comete um ato distinto. E também, a cada segundo a Ilaia percorre um ponto Kármico. Os seus atos foram classificados . Cada ato cometido foi registrado na devida coluna Catka ou Maila, no devido segundo. Desde modo, vai-se processando a programação cármica.

A cada quatro nós Kármicos forma-se um TATO.

Um Tato pode ser positivo, negativo ou nulo e é o valor resultante da polaridade equivalente a quatro Nós Kármicos.

A Ilaia programa as nossas moléculas de DNA posteriores. Sendo o Tato nulo, seus registros são apagados. Já o Tato negativo apaga os programas dos pontos Kármicos e a energia contida nestes pontos transfere-se para os Nós Kármicos.

A energia ilíaca consumida na programação de cada ponto Kármico só é transmitida ao Nó Kármico quando são dois ou mais pontos Kármicos de mesma polaridade. 

A energia relativa aos pontos Kármicos é transmitida ao seu respectivo Nó, tornando-se este positivo ou negativo, de acordo com a polaridade dos seus pontos Kármicos. 

Quando há apenas um ponto Kármico, não há transferência de energia para o Nó Kármico.









Limite de um Nó Kármico.

Cada ação que praticamos possui um peso moral que pode variar de zero a 100.

Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo.




Esta mesma variação determina o grau de energização de um nó Kármico que pode ser energizado em proporções mínimas ou máximas variando também de zero a 100.

Há determinadas ações cuja energização extrapola o limite energético de um nó Kármico. 

Um único ato que gere milhares de unidades energéticas, energizará, então, não apenas um Nó, mas dezenas de Nós, já que um Nó só pode absorver 100 unidades energéticas.

Esta extrapolação do limite energético de um Nó Kármico é observável nas programações e nas ativações dos programas.

O assassinato gera milhões de unidades energéticas.
É um único ato, mas programará negativamente milhares de Nós e, ao mesmo tempo, ativará centenas de programas negativos e anulará centenas de programas positivos. O assassinato pode ativar e programar nós Kármicos relativos ao número de Nós que a energia Ilíaca percorria percorria em alguns dias.

O mesmo processo ocorre com o suicídio.

Geralmente, os atos negativos prolongam--se mais que os positivos, pois, muitas vezes, os atos positivos não passam de obrigação de obrigação moral.
A ação de salvar uma vida, todavia, gera alguns milhares de unidades energética positivas, apesar de não passar de obrigação moral.

A classificação e prolongação de uma ação é processo extremamente complexo que podemo compreender apenas no seu mecanismo básico. Mas nunca saberemos se a ação será ou não prolongada positiva ou negativamente. Podemos apenas classificar os atos, utilizando o sistema de soma dos pesos da moral cósmica, individual e social.

Gen Kármico com única polaridade.

Como sabemos, um gen Kármico possui cerca de 900 mil Nós Kármicos. Quando possuímos Gen com maior número de nós Kármicos de polaridade negativa, temos um Gen Negativo, e quando ocorre o inverso temo um positivo.

Quando o Gen é negativo, no indivíduo que encarna corresponderá a um defeito físico ou mental. Tudo dependerá do número de nós Kármicos negativos que o constituem.

Um Gen positivo pode originar desde a característica física perfeita até alguma virtude ou algum dom. A beleza e o dom artístico são exemplos. Mas a definição da característica dependerá do número de nós Kármicos positivos que o caracterizem.

Mas, para que uma característica física seja definida, tanto negativa como positiva, também influenciará a disposição dos nós Kármicos no Gen. O número influenciará na característica, mas a ordem de disposição dos Nós no Gen é mais importante. Nesta ordem está cifrado o código Kármico, que não podemos compreender ou decifrar.

Variação do Peso Moral

O peso relativo a cada ação é importantíssimo não só para sua classificação em negativa ou positiva, mas, também,  para o modo de programação do ponto Kármico. 

Um ato pode ser classificado como negativo ou positivo, mas um pode ter peso 4 e o outro 40. 

Tudo dependerá do somatório de pesos entre a moral cósmica, social e individual.

Por exemplo:

Um Tato negativo ativado gerará um sofrimento X, se tiver um peso moral 10.
Caso este mesmo Tato possuísse um peso moral 60, o sofrimento programado seria seis vezes maior. Daí a importância do peso moral.

O peso moral pode ser igual a zero, neste caso o ato não será nem positivo nem negativo. O Tato ou Nó Kármico será ativado, mas o programa não terá nenhum valor, já que não há peso moral. O indivíduo receberá benefício ou sofrimento igual a zero.

Peso individual zero.

Se os pesos da moral cósmica e individual fossem iguais a zero e o peso da moral social fosse diferente de zero, não haveria programa no seu DNA Kármico relativo ao ato cometido, de peso exclusivamente social. Como é social, a característica positiva ou não, atingirá somente a coletividade ou sociedade.
Por exemplo: *
*
Nota: Como o carrasco fora incumbido de praticar a execução, esta pode ser extremamente social, pois são as leis desta civilização ou sociedade que determinaram que ele praticasse a ação, e não por sua livre e espontânea vontade. O peso moral individual será relativamente mínimo, mas poderia ser maior se, por algum motivo, o carrasco pudesse ter evitado a execução.

Um carrasco incumbido de executar um condenado e indivíduo sem cultura, com alto nível de ignorância quanto à questão espiritual e respeito à vida alheia. Por ele cometer este ato, pode ocorrer ser o peso cósmico igual a zero, o individual também zero, ambos classificando o ato como neutro, sendo portanto a soma dos pesos igual a zero. Se a moral social possui peso igual a 30 e positivo, predominará somente o peso social, que em nada influirá no indivíduo, mas sim no Karma social. Geralmente, entretanto, isto não ocorre. O mais frequente é o peso individual não ser zero.

Consideremos, no mesmo caso, a classificação do ato em relação somente à sociedade. O peso da moral cósmica seria hipoteticamente 50, classificando o ato como negativo, contra 30 de peso social, classificando o ato como positivo. Logo, o ato será negativo, pois predominou o peso da moral cósmica. Deste modo, a sociedade que levou o carrasco a cometer o dito crime é que pagará o Karma negativo, referente à execução e com peso igual a 50.

No mesmo exemplo anterior, caso o peso da moral individual fosse diferente de ZERO, o indivíduo programaria um Karma a ser cumprido.

Abaixo, se o seu peso individual classificasse o ato positivamente e com  peso 10, e o peso cósmico e social respectivamente com 50 (negativo) e 30 (positivo) teríamos:


Moral Cósmica = -50
Moral Individual = + 10
Moral Social = + 30

-50 + 40 = -10

Sobreporia o peso cósmico, programando o ato, no caso um assassinato, como negativo com peso 50.
Obs.: O caso de peso individual zero nunca ocorreu em nenhuma civilização. O fato é puramente hipotético, abordado apenas em função de análise.

Processamento do programa

Em indivíduo possuidor de DNA Kármico atual programado seu pré-destino está traçado, já que em seus nós Kármicos existem o esboço dos fatos que se sucederão na sua vida.

Cada nó Kármico possui peso energético, seja positivo ou não. O peso energético é a intensidade da positividade ou negatividade impressa no devido nó Kármico.

A medida que a energia Ilíaca percorre os Nós, estes são ativados ou desativados dependendo dos atos do indivíduo.

Caso o Nó seja ativado, de acordo com a sua intensidade, um malefício ou beneficio maior ou menor será proporcionado ao indivíduo.

O Eu Interior é que identifica a polaridade do Nó, assim como a sua intensidade.

Num exemplo simples podemos analisar esta questão:
Um Nó negativo de pouca intensidade é ativado, o Eu Interior o identifica e o processa. O processamento seria a análise da intensidade do Nó para poder efetuar o programa. No caso que estamos analisando, supomos que o Nó foi processado de modo que o indivíduo repentinamente sofresse uma dor de cabeça. 
Caso o Nó possuísse intensidade negativa maior, o Eu Interior poderia te-lo processado de modo tal que ele sofresse um tombo e quebrasse uma perna. 

Outro caso: um indivíduo roubou e ativou um nó Kármico com intensidade suficiente para que durante o processamento do Nó, o Eu Interior tivesse condição de fazer com que ele também fosse roubado. Caso o Nó não fosse suficientemente  intenso para tal, o Eu Interior lhe daria castigo relativo à intensidade do Nó. 
A forma de castigo, como doença, acidente, mágoa e outros, é muito variável, pois dependerá do processamento da programação e de sua integração com o Karma do meio ambiente.

Durante o processamento do programa, o Eu Interior pode planejar o pagamento Kármico do Nó de forma X e esta não se complementar com o Karma do meio ambiente, e assim, O Eu Interior terá que processar o programa de forma Y.

Na prática seria: 
O ladrão A roubou de um indivíduo, e desta forma, ativou um Nó Kármico negativo muito intenso. O seu Eu Interior analisa o programa e pretende processá-lo de modo que um ladrão B o roube. Mas se o karma do ladrão B não lhe dá condições para isso, ambos os Karmas não se complementam. Devido a este fato o Eu Interior o Eu Interior será obrigado a processar o programa de forma que o ladrão A sofra um acidente de intensidade suficiente para que o karma relativo ao Nó ativado seja cumprido.

No mesmo exemplo anterior, caso o Eu interior do indivíduo pretendesse processar o Nó negativo criado de modo que a polícia o prendesse e se a intensidade do Nó não fosse suficientemente  grande para isto, este Nó poderia ficar em suspensão.

Quando o indivíduo A cometesse mais atos negativos, ativando mais Nós negativos, as intensidades destes poderiam ser somadas com a do Nó em suspensão, a fim de que fossem suficientes para o Eu Interior processar este conjunto de Nós de forma tal que o indivíduo fosse aprisionado por um policial.

Para que isso ocorresse, seria necessária a complementação Kármica.
O policial teria que ativar os Nós Kármicos positivos, para que tivesse o merecimento de aprisionar o ladrão.

A suspensão Kármica é útil para o processamento de programas de acordo com os objetivos do Eu Interior.

Mas esta suspensão só e possível em grupos de quatro Nós, ou seja de um TATO.

Quando temos um Nó negativo, que pertence a um Tato negativo, o Eu Interior poderá processar cada Nó individualmente, amenizando o sofrimento ou processar o Tato integralmente, aumentando muito o sofrimento.

Em casos mais raros, o Eu Inferior pode acumular as intensidades ou suspender até 4 Tatos, para gerar sofrimento enorme. 

Isso só é possível quando há 4 Tatos Negativos consecutivos, logo, quanto mais Nós negativos consecutivamente, maior será o sofrimento.
Se os 4 Tatos negativos que são 16 Nós Negativos, não forem consecutivos, poderemos ter o processamento de cada Nó individualmente, o que gerará sofrimentos amenos.

Quando há o prolongamento do ato negativo, este gerará extremos sofrimentos, pois programará cadeias sucessivas de Tatos negativos. Imaginem então, o suicida e o assassino que programaram cadeias inteiramente negativas de milhares de Tatos negativos de grande intensidade.

Se estes Tatos fossem processados pelo Eu Interior no transcorrer da vida, certamente o indivíduo não resistiria, e terminaria por desencarnar. Para que isso não ocorra, o indivíduo pagará estes Tatos negativos e encadeados com defeitos físicos equivalentes, geralmente congênitos.

De modo geral, nunca pagamos Tatos negativos numa cadeia de mais de 16 Nós. Quando um indivíduo pagar o Karma de 5 Tatos (20 Nós) negativos, o seu sofrimento será tão intenso que não sobreviverá ao processamento do seu programa, salvo pessoas de extrema resistência física e emocional.

Do mesmo modo que se processam os Nós Negativos, os Positivos seguem as mesmas regras, mas ao invés de gerar sofrimentos geram benefícios.

Quando são longas cadeias de Tatos Positivos consecutivos, na programação genética, o indivíduo poderá ter extrema beleza, fabulosos dons artísticos e outros. Outras vezes, o processamento não é genético, mas puramente familiar e o indivíduo encarnará em família que lhe dará grande amor e compreensão. As possibilidades são infinitas.

EU NEGATIVO E POSITIVO

Quando ativamos programa negativo, o Eu interior nos proporcionará sofrimento relativo a este ato, mas o próprio Eu agirá como inimigo, procurando nos fazer sofrer o máximo possível dentro das possibilidades relativas do programa.

Quando ativamos programa positivo, o Eu Interior age da forma mais benéfica possível.

Tudo ocorre como se o Eu Interior fosse dois indivíduos, um antagonista do outro. Na realidade, ele é duplo, possui duas partes, uma positiva e outra negativa, assim como tudo no Universo.

Mas não temos o que temer em relação ao processamento do programa, o julgamento do Eu Interior em relação aos nossos atos, desde a sua classificação até o processamento do programa relativo ao atos que cometemos, é completamente perfeito.

Para que esta perfeição seja mantida, o Eu Interior abriga-se nas partes mais profundas do Espírito Humano. Se o Eu Interior se tornasse nossa parte consciente prematuramente, isto é, enquanto possuíssemos Karma, o equilíbrio cósmico seria rompido, o acaso passaria a existir e o universo entraria em caos.

ATIVAÇÃO DO PROGRAMA

A ativação do programa é feita na próxima encarnação.Na encarnação seguinte o DNA Kármico, antes posterior, agora torna-se atual. Há ainda o DNA posterior para a próxima vida.

Fecundado o óvulo, o Karma atual é ativado. A energia ilíaca começa a percorrer o primeiro Ponto Kármico do primeiro Nó Kármico.

No DNA já está determinado todo o esquema de vida, desde o primeiro segundo até o último. Mas esta determinação é variável em função dos atos de do livre arbítrio. Não podemos alonga-lo. Podemos somente antecipa-lo.

No estágio atual da humanidade, o código genético permite um tempo de vida de até 150 anos.

Mas, em 99% dos casos  antecipa-se a desencarnação pela rápida deterioração do corpo físico.

Os principais fatores desta antecipação da desencarnação são os produtos químicos, alimentação inadequada e o próprio clima de tensão das grandes cidades.

A medida que o Ilaia percorre os Nós Kármicos programados na vida anterior, o indivíduo pode passar desde pequenos sofrimentos até enormes sofrimentos.

Dependendo dos seus atos, todos os sofrimentos programados nos Nós Kármicos podem ser desativados.

Analisemos um Tato completamente Negativo.:


A energia Ilíaca começa a percorrer o Catka e a Maila igualmente, isto é, quando a energia ilíaca atingir o primeiro ponto do primeiro No na haste Cakta, também estará no mesmo estágio na haste Maila.

Caso o indivíduo possua Tato Negativo e não pratique atos positivos, a energia ilíaca fará registrar os atos negativos nos pontos Kármicos da Maila, à medida que percorre os Nós.

Se o indivíduo não praticou atos positivos, somente negativos, adquiriu três pontos Kármicos negativos no primeiro Nó Kármico.

Como foi visto anteriormente, 2 ou 3 pontos Kármicos de mesma polaridade num mesmo Nó ativam o programa ao transferir sua energia para este mesmo Nó.

Como são 3 pontos Kármicos negativos, o Nó Kármico é energizado na haste Maila; como existe nele um programa, o mesmo é ativado.

Sendo este programa de apenas um Nó Negativo, irá gerar sofrimento de pouca intensidade.

Outra situação que poderia ocorrer: o indivíduo praticou dois atos positivos e um negativo, tendo sido registrados dois pontos kármicos positivos e um negativo no mesmo Nó. A energia relativa aos 2 pontos kármicos positivos transfere-se para o Nó da haste Catka, ativando-o. Consequentemente, o Nó Kármico programado negativamente é anulado.

Expliquemos; o primeiro nó Kármico da Haste Catka possui um oposto na Haste Maila, só que este é programado e o da haste Catka é ativado.
O programado é derivado da última encarnação.
O ativado é derivado da encarnação em curso.
Como os dois Nós são energizados, um por programação  e o outro por ativação, ambos de polaridade opostas, anulam-se.

Neste caso, o sofrimento programado em vida passada é anulado graças aos atos que o indivíduo praticou na vida atual.

Todos os Nós Kármicos são potencialmente inativos.
São ativados quando atingidos pela Energia Ilíaca.
São desativados quando os Nós Kármicos respectivos de polaridades opostas são ativados pelos nossos atos.

Nós temos um pré-destino, com duas características: sofrer ou não, ser beneficiado ou não. Os atos determinam nosso sofrimento. Ninguém pode assumi-los por nós.

Quanto mais se ajudar o próximo menos sofrimento e maior evolução espiritual adquirimos.

Um Tato com todos os Nós Kármicos negativos ativados acarreta sofrimento físico que tenderá a aumentar de intensidade.

Por exemplo: uma dor de cabeça inexplicável e incurável, tanto por meios espirituais como físicos. A ativação de um Tato com 3 Nós Kármicos Negativos, geralmente acarreta dificuldade ou barreira para o indivíduo voltado para o lado material (trabalho, escola, finanças e outros). Mas as formas de processamento do programa são muito variáveis. Existem milhões de opções para cada Nó, face a variante relativa às unidades energéticas estabelecidas para os mesmos.

RELAÇÃO ENTRE KARMA ATUAL E KARMA POSTERIOR

Os atos negativos praticados são registrados no Nó Kármico atual e no posterior. Logo, a prática de atos negativos gera a possibilidade de programação de sofrimentos no presente, devido ao Karma atual, como também, na próxima encarnação, face ao Karma posterior.

Em resumo:
1- Nó Kármico Negativo programado. O indivíduo ao praticar atos negativos ativará este Nó Kármico programado, gerando um sofrimento qualquer proporcional aos seus atos.

2- Ativação. Se dá ao transferir a energia dos Pontos Kármicos para o Nó Kármico.

3- Os Pontos Kármicos energizados no Nó Kármico atual, tambem são registrados no posterior;

4- O pontos Kármicos do Nó posterior programam o sofrimento para a próxima encarnação, ao transferir a sua energia para o respectivo Nó Kármico.

Se os atos negativos energizassem um Nó Kármico e se em oposição houvesse um Nó Kármico positivo programado, estes se anulariam.

Neste caso, não haveria programação alguma no Karma Posterior.

O Karma posterior relativo a este Nó seria nulo. 

Não haveria  Nó Kármico nem Positivo nem Negativo programado.

Nada ocorrerá, nem para beneficiá-lo ou prejudica-lo relativamente à aquele Nó. Todavia, ocorrerá o fenômeno de transferência de energia do ato relativa ao Nó nulo, para o próximo Nó não nulo (programado).

Os atos cometidos em trecho Kármico nulo não programarão o DNA posterior. 

O Nó Kármico que se tornar Nulo, assim ficará até que o indivíduo deixe o reino humano.

A tendência natural é de aumentar cada vez mais o número de nós Kármicos nulos.

KARMA NULO

Como foi visto no tópico anterior, há possibilidade de se obter Karma Nulo.

Este Karma nulo pode ser relativo a apenas pequeno trecho do Gen Kármico, ou seja, alguns Nós Kármicos Nulos.

Pode-se encontrar Gens Kármicos completamente nulos, como também DNAs Kármicos completamente nulos, o que é uma raridade. Mas nunca encontramos todos os DNA nulos, pois ses todos fossem anulados não haveria necessidade de encarnar-se.

Quando se atinge Karma completamente nulo em relação à todos os DNA, o indivíduo não precisa mais encarnar no reino humano e pode passar para o reino planetário.

Há dois tipos de Karma Nulo: Total e Relativo.

Total é o dos indivíduos que possuem todos os seus DNA Kármicos nulos. Devido à esta anulação total do seu Karma não existe razão para o indivíduo reencarnar no reino humano. Ele passa ao estágio angelical e em seguida penetra no reino planetário.

Relativo é o dos indivíduos que possuem Gens Kármicos Nulos e suficientes para encarnar em outra civilização, de outra dimensão, em estágio mais avançado do que o do nosso planeta.

Os indivíduos que obtiverem o número X de gens Kármicos nulos, relativos à determinada civilização, deixam a Terra e encarnam em outra civilização, provavelmente extraterrestre.

O indivíduo possui Karma Nulo em relação a uma civilização, mas Karma não nulo em relação à civilização superior.

Quanto mais evoluída é a civilização, maior o número de Gens Kármicos Nulos necessários para que determinado indivíduo possa nela encarnar.

Mas, como o indivíduo não possui Karma Nulo total, periodicamente este indivíduo deverá desencarnar desta civilização e encarnar na Terra, para anular mais rapidamente o seu Karma e, assim, poder encarnar em civilização superior à que estava encarnado anteriormente.

Durante a sua encarnação na Terra, este indivíduo deverá aumentar o número de Gens Nulos.

Quando aumentar o  número de Gens Nulos o suficiente para encarnar em civilização superior à anterior, ele desencarna do Planeta Terra e encarna nesta civilização com o Karma relativamente nulo. 

Se este indivíduo não aumentar o número de Gens Kármicos Nulos, não poderá encarnar em outro planeta enquanto não adquirir número maior de Gens Nulos relativos à civilização em que estava encarnado antes de vir para a Terra.

Este indivíduo poderá ficar preso ao Planeta Terra por infinitas encarnações, enquanto não anular os Gens Kármicos necessários.

Mas a vinda à Terra é fundamental a todos os seres, pois aqui se processa o grande teste e seleção, para se averiguar a verdadeira evolução espiritual de cada indivíduo.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...