Google Tag Manager

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Poesia compartilhada pela Mirtzi

Poesia Compartilhada pela Mirtzi




Há um bom tempo, fui apresentada ao grande e renomado jurista brasileiro Ives Gandra Martins, em um stand de uma empresa de livros técnicos, no intervalo de um congresso profissional. 
Tive a grata oportunidade de conversar com ele e ouvi-lo sobre questões pontuais que aconteciam em nosso país. 
O stand da Paraíba ficava vizinho ao stand dos livros em que nos apresentaram. 
No dia seguinte, para minha surpresa, ele me viu e me chamou, dizendo: "eu lhe trouxe um presente, um livro que não é técnico, mas, pela sua sensibilidade, creio que irá gostar".
E aí me dedicou o livro "50 Poetas do Clube de Poesia" de São Paulo, onde havia um poema seu, dedicado à sua esposa intitulado "Teus Olhos", que transcrevo a seguir.
Nas figuras: A capa do livro, a dedicatória e meus olhos.

Teus olhos (Para Ruth)

De Ives Gandra da Silva Martins


Teus olhos são imensos lodaçais 
No fundo dos grandes lados,
São os musgus seculares
Dos troncos parasitados

E o canto enferrujado
Das ferrugens de portões,
No silêncio dos jardins,
Boia, mudo, por teus olhos.

Imensos lodaçais estagnados,
Passados, repassados, trespassados,
Os séculos dos lagos,
Lagos grandes,
Ouvindo a eternidade,
Estagnados.

Os musgos seculares remontando
Enormes árvores, que o tempo encurva,
Os musgus se infiltrando,
Varando e revarando
Os troncos engrossados
Pelas árvores

E os teus olhos,
Cor de musgos,
Cor de imensos lodaçais,
Estagnando o lago dos meus olhos,
Parasitando o tronco de meu corpo
Cantam o canto enferrujado
Das ferragens dos portões.

Eis minha canção de sempre,
A canção verde-marrom
Da conquista e da indolência,
Cujo som soa silente,
Por teus olhos, cor de musgos,
Cor de imensos lodaçais,
Onde, adormecidas, boiam
As ferrugens dos portões.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...