Google Tag Manager

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

GEG e Cooperativismo Hangout On Air de 9 de fev 2015

GEG e Cooperativismo Hang Out on Air de 9 de fev 2015 



Agradecimentos:
Obrigado, Arlete Meneguette, líder do GEG P.Prudente, pelo seu continuado apoio.
Obrigado, Juliana Gense, co-líder do GEG P.Prudente, por sua participação.
Obrigado, Júlio Santos, líder do GEG Natal, por sua participação.
Obrigado, Augusto Portugal, Foreducation, por seu incentivo.
Muito obrigado a todos os participantes e ouvintes.
Sem vocês, nada disso teria acontecido. Muito obrigado,
Jorge Purgly, líder do GEG Blumenau.


GEG Blumenau - Grupo de Educadores Google de Blumenau e região


Veja aqui as transparências apresentadas e no final da postagem o Hangout On Air na íntegra no Youtube.





Veja aqui as transparências compartilhadas no Google Drive https://docs.google.com/presentation/d/1wfgD-mrBMG1ttiXQwPlhVoHOXbm4lZ2ieMGS9bl2Qn8/edit?usp=sharing


Os 7 Princípios do Cooperativismo no GEG Blumenau
Fonte: http://www.gegblu.com.br/2015/01/os-7-principios-do-cooperativismo-no.html




Hashtags:

#COOP01 - Evento: Primeiro HOA em 09/02/2015

#COOP02 - Apresentação dos Princípios do Cooperativismo.

#GEG Blumenau


#GEG P.Prudente

#GEG Brasil

#Projeto: "Cooperação"



Este artigo faz parte do Projeto do GEG Blumenau - Cooperação 

Proposta de Planejamento do GEG Blumenau para 2015


Em elaboração de forma colaborativa
Objetivo: Estabelecer cooperação entre educadores, estudantes e interessados, fazendo uso das ferramentas Google.


Período: de Janeiro a Dezembro de 2015.


Metas


  • Alcançar 10 novos participantes que apliquem as Ferramentas Google para Educação para que sejam multiplicadores de conhecimento.
  • Promover e realizar 4 eventos em 2015.



Metodologia: Encontros virtuais e presenciais, palestras sobre o uso das Ferramentas Google na Educação a Distância e Presencial.


Lema do Projeto: A igualdade de propósitos nos une, a cooperação e a diversidade nos fortalecem.


Os 7 Princípios do Cooperativismo, foram adotados pelo GEG Blumenau, adaptados para o Grupo de Educadores Google.


1- Adesão livre e voluntária.





2- Participação de modo democrático.


3- Contribuição ao Grupo e à sociedade pelos participantes.


Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo.





4- Autonomia e independência, dentro das orientações do GEG Brasil (Código de Conduta).


5- Educação, treinamento e informação aos participantes e simpatizantes.



6- Cooperação entre os GEGs - Grupos de Educadores Google.


7- Interesse pela comunidade.


Moto: Blumenau é a cidade da sede da CECRED e da VIACREDI, entidades nascidas a partir da cooperação dos funcionários da Cia Hering, sendo a Viacredi a maior cooperativa de crédito da América Latina e a CECRED a mais respeitada entidade que congrega associados de diversas cooperativas de crédito no Brasil.


Blumenau também é a cidade da sede da COOPER, a nossa cooperativa de abastecimento, que além de ser a melhor rede de abastecimento (supermercado) da região, pelo quinto ano consecutivo, distribui o retorno das sobras em mercadorias aos associados uma vez por ano (isso só a COPPER faz).


Blumenau e região são modelos no cooperativismo.

Também são modelos na Educação á Distância EAD, através das 18 Universidades e Faculdades que atendem o Vale do Itajaí, onde Blumenau está situada. 

Universidades em Blumenau



Fonte: Santa - Educação - Jan. 2015


O que é cooperativismo?
Fonte: Cartilha do Cooperado Viacredi de Maio 2014.

O cooperativismo é a união de pessoas com interesses comuns, que buscam satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais por meio de uma cooperativa organizada economicamente e de forma democrática. O cooperativismo não visa lucros.

Atualmente existem cooperativas dos mais diversos ramos:
consumo, crédito, agropecuária, saúde, trabalho, educação e outros (habitacional, de produção, de transporte, de turismo e lazer, etc.

Dia 
O dia internacional do cooperativismo é celebrado no primeiro sábado de julho de cada ano.

Origem
Surgiu na Inglaterra por iniciativa de operários da cidade de Rochdale em 1843.
Prejudicados pelo novo modelo industrial, onde maquinas inventadas substituíram o trabalho artesanal e algumas atividades - os operários foram levados  a se preocuparem com outras formas de garantirem o sustento de suas famílias.
Discutindo as dificuldades e buscando soluções , eles decidiram pela criação de uma sociedade de consumo, baseada no cooperativismo puro.
Foi lançada então, a Sociedade dos Probos Pioneiros de Rochdale Limitada. 
A princípio a cooperativa comercializava apenas farinha, manteiga e açucar. Onze anos depois, a organização tinha crescido e suas vendas já envolviam outros alimentos e tecidos.
Desde então o cooperativismo propagou-se pelo mundo, e hoje é parte da economia que quase todos os países.

No Brasil
O movimento cooperativo começou a ser reconhecido no Brasil em 1847.
O ramo de crédito teve sua primeira cooperativa em 1902, no Rio Grande do Sul, numa localidade denominada Linha Imperial, hoje Nova Petrópolis.

Os 7 Princípios
1- Adesão voluntária e livre
2- Gestão democrática pelos membros
3- Participação econômica dos membros
4- Autonomia e independência
5- Educação, formação e informação
6- Intercooperação
7- Interesse pela comunidade



Os 4 Princípios da Credibilidade
1- Dizer o que faz
2- Fazer o que diz
3- Saber mostrar
4- Convencer


A CECRED 

A CECRED - Cooperativa Central de Crédito Urbano é uma Cooperativa formada por Cooperativas.

Entre os objetivos da CECRED destacamos o PROGRID
Programa de Integração e Desenvolvimento de Coooperados e Comunidade.

Que promove cursos e treinamentos para funcionários, dirigentes da Central e das filiadas e aos cooperados.

Destacamos a Viacredi como Cooperativa de Crédito no Estado de Santa Catarina.



 O Cooperativismo ao Alcance de Todos

Exemplos de cooperação na Natureza:
Abelhas,
Golfinhos,
Formigas,
Peixes (cardumes)
Aves migratórias
Macacos

Na sociedade humana:
A Família.

Na história da humanidade:
Babilônia
Egito
Grécia
China
civilizações Asteca, Maia e Inca

Coooperar vem de Cooperari, do Latim cum (com) e operari (trabalhar), e significa agir simultânea ou coletivamente com outros para um mesmo fim, ou seja, trabalhar em comum para o êxito num mesmo propósito.

Cooperativismo no Brasil - Visão para 2015 (este ano).



Mapa estratégico da OCB - Organização das Cooperativas do Brasil

Mapa estratégico do SESCOOP


Sistema cooperativo catarinense
Fonte: OCESC/Cooperativas - 31/12/2012



Cooperativas Educacionais no Rio Grande do Sul

Fonte: http://www.geracaocooperacao.com.br/



As cooperativas educacionais surgiram como uma alternativa à dificuldade do Estado de prover ensino público de qualidade e à incapacidade das famílias de bancar os altos custos do ensino particular. 

A primeira cooperativa educacional do Brasil surgiu em 1982, quando um grupo de pais se reuniu e decidiu formar uma escola.

Elas são formadas por professores que se organizam como profissionais autônomos para prestar serviços educacionais e por pais de alunos que buscam uma educação melhor para seus filhos, administrando as escolas e contratando os professores. Seu objetivo é unir ensino de boa qualidade e preço justo. Assim, pais de alunos e professores formam e administram escolas cooperativas, promovendo a educação com base na democracia, na cidadania, no desenvolvimento da comunidade e na cooperação. Sua maior vantagem é permitir que pais e professores tenham maior participação na instituição de ensino.

Cada vez mais pais buscam assumir o controle e se envolver com a formação escolar dos filhos. Nas cooperativas educacionais eles podem controlar o projeto pedagógico, as práticas e os métodos aplicados.

As cooperativas educacionais funcionam como uma escola convencional, respeitando todas as diretrizes do MEC. O corpo docente e a equipe de direção pedagógica são funcionários contratados. Cabe aos pais o gerenciamento dos recursos financeiros, geralmente por meio de assembleias, e a definição dos métodos pedagógicos. Eles também têm oportunidade de participar de um conselho pedagógico ligado à diretoria da cooperativa e ao corpo docente.

Existem hoje mais de 300 cooperativas educacionais cadastradas na Organização das Cooperativas Brasileiras. Nos últimos anos houve um crescimento significativo dessas instituições: em 1995 eram apenas 106 cooperativas.

Já no Rio Grande do Sul existem 20 cooperativas educacionais, com 3.368 associados e cerca de 80 empregados. O faturamento anual do ramo no RS em 2012 foi de R$ 15.448.573, 18,4% maior do que em 2011. Algumas das principais cooperativas educacionais gaúchas são a Cooeducars e a Cooplider, de Porto Alegre, a Cooperconcórdia, de Santa Rosa, e a Coopeva, de Venâncio Aires.


Cooperativas educacionais no Estado de Santa Catarina

Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/economia/noticia/2014/09/ensino-dos-filhos-e-decidido-em-conjunto-em-cooperativas-educacionais-4608125.html


Coopere SC27/09/2014 | 07h41 Diário Catarinense,

Ensino dos filhos é decidido em conjunto em cooperativas educacionais
Pais, professores e alunos se uniram e já formaram 10 cooperativas em Santa Catarina para manter escolas em prol de mais qualidade.


Através de valor excedente, cooperativa de Imbituba conseguiu construir laboratório para aulas práticas de disciplinas como CiênciasFoto: Coopeimb / Divulgação
Angela Winter, Especial
Contato: reportagem@diario.com.br


Uma escola onde os pais e professores decidem qual é o melhor método de ensino, quais as atividades extracurriculares mais adequadas ao perfil dos alunos, qual a estrutura necessária para que todos aprendam com qualidade. É isso que une os que se associam a uma cooperativa educacional, ramo que cresce ano a ano no Brasil.

Em 2012, eram 60 mil associados no país. Em 2013, este número subiu para 61,6 mil, distribuídos em 301 cooperativas. Em Santa Catarina, são 10. O ramo deve crescer nos próximos anos, conforme a expectativa do presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Marcos Antônio Zordan.

– É um ramo relativamente novo em sua participação na Ocesc, mas acredito que seja o caminho para a solução dos problemas da educação – afirma Zordan.

Empresas preparam alunos para desafios De acordo com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o papel da cooperativa de ensino é ser a mantenedora da escola, que deve ser administrada por especialistas contratados e orientada por um conselho pedagógico de pais e professores.

A OCB explica ainda que, do intercâmbio entre essas partes surge o produto final, que é a preparação dos alunos para enfrentarem, em melhores condições, os desafios do mundo e intervirem como agentes da história.

De maneira geral, o ramo é composto por cooperativas de professores, que se organizam como autônomos para prestarem serviços; de alunos de escola agrícola que contribuem para o sustento da própria escola e até produzem excedentes para o mercado; de pais de alunos, que querem propiciar melhor educação aos filhos, administrando uma escola e contratando professores; e por empresas de atividades afins.

Lucro transformado em melhorias

Há quatro anos, quando decidiu se associar à Cooperativa Educacional de Imbituba (Coopeimb), Darcionet Favarian sabia o que estava fazendo. Cresceu vendo as atividades do pai em uma cooperativa agrícola.

– Sempre achei o conceito interessante. A união em prol de um objetivo é muito linda – diz. A opção foi feita pelo desejo de participar da construção da qualidade de ensino do filho Gabriel, na época com 10 anos. Hoje, a segunda filha, Sofia de 11 anos, também estuda no colégio. Darcionet, que faz parte do conselho administrativo, comemora as conquistas, como a construção de um laboratório.

– Como não temos como o objetivo o lucro, tudo que conseguimos se transforma em melhoria – afirma a associada. Maria Vieira da Rosa, presidente da Coopeimb, conta que a cooperativa surgiu há 20 anos da necessidade de um grupo de pais de Imbituba, no Sul catarinense, de garantir um ensino de qualidade, diminuir riscos de deslocamentos e preservar o convívio familiar com os filhos.

– Nós pais, através de conselhos (administrativo, fiscal, ético e pedagógico) e assembleias, somos os mantenedores da Coopeimb e dividimos os custos anuais entre os associados ativos – diz Maria.

Os resultados da cooperativa são mensurados de uma forma diferente da de outros ramos, quando tem bons índices de aprovação em vestibulares e no Enem, por exemplo.

– Em 2010, garantimos o 7º lugar no Enem e continuamos garantindo bons resultados. Historicamente, nossos alunos conseguem excelentes colocações nos vestibulares de Santa Catarina e em outros Estados – destaca.


Viacredi e Educação

Através do PROGRID são feitos investimentos em educação para funcionários, cooperado e comunidade.

Em 2014, pela Viacredi,  foram:
- 365 treinamentos presenciais com 6.108 participações
- 16 cursos à distância com 6.299 participações
- R$ 220.000 em participação social (PROGRID e eventos assemelhares).

Confira abaixo o Hangout On Air na íntegra pelo Youtube.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...