Google Tag Manager

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Orgonite Quantica Lemuriana parte 3 de 3

Orgonite Quântica Lemuriana Parte 3  de 3 Partes

















Foto: Cortesia de Yuri Psikunov

Lemuriana

Referente a Lemúria, Continente Perdido anterior a Atlândida de onde se remonta o quartzo lemuriano extraido no Brasil.

Cristais Lemurianos

Seus mentores atuais objetivam trabalhar com os humanos no sentido de ancorar e ativar a nova rede Paraíso no Planeta.

Os Cristais Lemurianos são encontrados e podem ser extraídos no Brasil. São cristais geradores criados de forma natural. No entanto, enquanto os cristais de quartzo ou cristais de rocha são normalmente transparentes, estes são foscos ou parecem que contem “conteúdo” na sua aparência.

A característica particular que os identifica é a existência de estrias horizontais numa das faces que termina numa face triangular.

Estes cristais estão ligados a todos os outros cristais. Eles transmitem aos demais a mensagem da Unidade e do Amor que eram a energia-chave da Lemúria. E este é o seu trabalho: reativar, na matriz interna planetária, esta memória ancestral da Unidade para que a mesma se torne na forma de vida da Nova Terra.
Os Cristais Lemurianos revelaram a existência de determinados pontos de Origem Lemuriana na Terra.
Tratam-se de locais que fizeram outrora parte da antiga civilização Lemuriana e que ainda sustentam, no seu interior, a matriz da essência da Lemúria.
Contrariamente às crenças populares, o verdadeiro continente “Mu” não estava originalmente situado no Pacífico, mas era antes uma vasta massa territorial unificada que incluía a América do Sul, África, Índia e Austrália.
Quando se deu a sua separação, este continente original dividiu-se na formação dos continentes atuais.

Os Pontos de origem Lemuriana que estão sendo ativados agora, incluem a Ilha de Maui, no Havai, a área do Cabo Ocidental da África do Sul, a área da Península Valdez, na Argentina, alguns locais da Nova Zelândia e a Ilha de Madagáscar.

Estes são lugares muito visitados por baleias, as quais também se encontram a trabalhar na sustentação e na ativação do Paraíso da matriz Lemuriana.
Dessa forma, destaca-se a noção de que estes cristais transportam em si uma consciência muito remota que sustenta os códigos do Paraíso original que vêm das estrelas a semear no planeta.

Lemúria
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lem%C3%BAria
Lemúria é o nome de um suposto continente perdido, localizado no Oceano Índico ou no Oceano Pacífico. A ideia teve origem no século XIX, pela teoria geológica do Catastrofismo, mas desde então tem vindo a ser adotada por escritores do Oculto, assim como pelo povo Tâmil, da Índia.

Relatos sobre a Lemúria diferem quanto à maioria dos pormenores. No entanto, todos partilham a crença comum de que o continente existiu na pré-história mas afundou no oceano devido a alterações geológicas. A maioria dos cientistas considera hoje continentes submergidos uma impossibilidade física, dado a teoria da Isostasia.


Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo



No entanto a variação do nível médio dos mares ao longo das sucessivas idades do gelo tem inundado e exposto porções de terreno mais ou menos extensos. Estas variações das áreas expostas/inundadas poderão eventualmente ter perdurado na memória coletiva dos povos pela sabedoria acumulada ao longo de várias gerações.

Índice
1Lemúria e os Teosóficos
2Espiritualismo
3Ver também
4Ligações externas


Lemúria e os Teosóficos

Ao longo do século XIX, os seguidores das teorias de Helena Blavatsky, em sua Doutrina Secreta passaram a acreditar numa versão diferente da História do Mundo que encontrava respaldo na teoria geológica do Catastrofismo anteriormente referida. 

Esses indivíduos defendiam que a raça humana havia passado por quatro estágios pré-evolutivos, se encontrando no quinto estágio.

Embora algumas raças do quarto estágio (e, portanto, menos evoluídas) ainda coabitassem com as do quinto estágio. 

Para esses teosóficos, a quarta raça seria muito semelhante à quinta e teria habitado principalmente em Atlântida

A terceira raça, contudo, seria bem diferente e, tendo habitado a Lemúria, teria esqueleto cartilaginoso, três olhos (sendo um na testa, hoje atrofiado, tendo dado origem à glândula pituitária (atualmente conhecida como hipófise), mãe dos poderes paranormais de tal raça que, contudo, seria muito belicista e de muito desenvolvimento intelectual).

A segunda raça teria sido semi-etérea e a primeira raça não seria tangível, sendo feita de éter, no sentido metafísico da palavra. 

Outras teorias atribuem essa atrofia do "terceiro olho" à pineal ou epífese, outra glândula do sistema nervoso central que, de fato, tem correlação com a estrutura histológica e embrionária dos olhos, ficando situada entre os lobos occipitais do cérebro. 

Vale lembrar que a pineal importa para os mecanismos metabólicos circadianos.

A pineal por muitas culturas é considerada um importante centro de energia e de paranormalidade e que tanto atlantes como lemurianos as teriam particularmente mais desenvolvidas, muito além das atribuições que a atual medicina reconhece.

O principal seguidor de Blavatsky e maior propagador dessas histórias sobre a Lemúria foi William Scott-Elliot, em seu livro Lendas de Atlântida e Lemúria.

Espiritualismo

No livro espiritualista Legião, de Róbson Pinheiro, pelo espírito Ângelo Inácio, são citados duas vezes os continentes perdidos Lemúria e Atlântida.

Na primeira citação, o personagem Pai João relata:

A Atlântida e a Lemúria, continentes cuja história ainda não é oficialmente reconhecida pelos intelectuais da Terra, mas estudada através dos registros mantidos no mundo espiritual, constituem o berço dos magos. 

Esse território perdido recebeu exilados de outros orbes, espíritos detentores de grande bagagem científica e notável domínio mental sobre as forças da natureza, os quais, em seu apogeu, portavam-se de acordo com determinado sistema ético e moral. 

Ambos os fatores lhe asseguravam a possibilidade de fazer incursões no mundo oculto com invejável liberdade, manejando com destreza inúmeras leis da natureza e fenômenos condicionados a elas.

Na segunda citação, o personagem Pai João descreve: 

A necessidade de espíritos dedicados exclusivamente à manutenção da ordem, da disciplina e do equilíbrio começou já no momento em que a Terra recebia os primeiros contingentes de espíritos vindos de outros mundos, evento contemporâneo às civilizações da Lemúria e da Atlântida.

Ver também
Outros supostos continentes desaparecidos
Atlântida
Mu
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...